A evolução do PBQP-H

0
41 Flares Facebook 0 LinkedIn 41 41 Flares ×

 

App, abstract, phone.

 

Diante de um mercado globalizado e competitivo, no qual os clientes estão cada vez mais exigentes, as empresas estão buscando diferenciais para assegurar a sua sobrevivência. Um dos principais diferenciais é a qualidade. Que, através de um sistema de gestão implementado de forma eficaz, exerce forte influência sobre o bom desempenho da produção, a melhoria dos produtos / serviços e incremento dos lucros.

Neste panorama, o Governo Federal, com o intúito de melhorar a qualidade do habitat e de modernizar a produção, institui o PBQP-H em 18 de dezembro de 1998. Em 15 de março de 2005 denomina-se o SiaC no âmbito do PBQP-H. Então é aprovado o Regimento Geral e o Regimento específico para a Especialidade Técnica – Execução de Obras. Além da ampliação do PBQP-H para áreas de Saneamento e Infraestruturaurbana. Em 05 de Dezembro de 2012, o Regimento SiAC passou por uma nova revisão. Com a inclusão, por exemplo, de indicadores de sustentabilidade. Além da necessidade de atendimento à Legislação Ambiental e de Saúde e Segurança. Recentemente, o Ministério das Cidades publicou no Diário Oficial da União, em 09/01/17, a Portaria nº 13, de 6 de janeiro de 2017, que visa o aperfeiçoamento do Sistema de Avaliação da Conformidade de Empresas de Serviços e Obras da Construção Civil (SiAC).

A principal mudança refere-se à obrigatoriedade do Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ) manter evidências documentadas do atendimento à Norma de Desempenho (ABNT NBR 15575 – Edificações habitacionais – Desempenho). Que prioriza o bem-estar dos usuários das unidades habitacionais especialmente nos aspectos de Segurança, Habitabilidade e Sustentabilidade.

Outros ajustes promovidos pela referida Portaria foram:
  • A exclusão da “Declaração de Adesão ao PBQP-H”. Nível de acesso ao SiAC que não era exigido auditorias realizadas por Organismo de Avaliação da Conformidade (OAC);
  • Alinhamento com a ISO 17021:2015, prazos, validades, competências;
  • Ciclo de certificação de 36 meses;
  • Entrada de projetos: construtora deve indicar o nível de desempenho (Mínimo, Intermediário ou Superior).

O prazo de transição para seu atendimento é de 6 meses. Ou seja, partir de 09/07/2017, as auditorias serão realizadas com exigências específicas sobre a NBR 15575.

Conheça nossos treinamentos de transição: Clique Aqui >

 

Comentários no Facebook

41 Flares Facebook 0 LinkedIn 41 41 Flares ×